Usamos cookies para melhorar sua experiência no nosso site, acesse nossa Política de Privacidade e saiba mais. Ao usar o nosso site, você concorda com nossa política.

Aceitar Rejeitar

6 tipos de alimentos que auxiliam na memória

por Gigi em 3 de setembro de 2020


Na Live “Papo de ILPI – O que acontece com a memória com o processo de envelhecimento?”, realizada no dia 22 de julho, um dos temas tratados foi sobre o que podemos fazer para manter a memória saudável ao longo da vida. Durante a transmissão mencionamos a questão da alimentação e como alguns alimentos podem potencializar os processos cognitivos. Da interação com as pessoas que estavam acompanhando este evento, surgiu a ideia de fazermos um post sobre este assunto.



As dicas abaixo são baseadas na minha experiência na área de Gerontologia, bem como em estudos de artigos sobre o assunto, para elucidar o cuidado que as pessoas precisam ter com sua alimentação no tocante ao desejo de se ter uma longevidade com boa memória. Para uma orientação mais direcionada, faz-se necessário procurar um profissional de nutrição.



Vamos às dicas do que é importante ter na alimentação para auxiliar na saúde de sua memória:



  • Peixes: principalmente os de água fria (salmão, anchova, sardinha, atum, arenque); são fontes de ômega 3, poderoso antioxidante, favorece a comunicação entre os neurônios e, assim, melhora a concentração e a memória;
  • Frutas e vegetais amarelos – Mamão, manga, pêssego, cenoura, abóbora. Fontes de betacaroteno, antioxidante;
  • Frutas vermelhas: morango, cereja, framboesa, amora, pitanga, melancia e tomate, também possuem pigmentos antioxidantes que combate os radicais livres e ajudam a memória;
  • Oleaginosas: castanhas, nozes, amêndoas, avelãs, amendoim. Ricas em vitamina E e selênio, também fontes de antioxidantes;
  • Aves, grãos integrais, leguminosas, leite e derivados: são fontes de vitaminas do complexo B; ajudam na energia, melhoram a memória e auxiliam na comunicação dos neurônios;
  • Açafrão: inibe a morte de neurônios – pode ser usado no arroz.


Para além da memória, o Ministério da Saúde traz as seguintes recomendações: consumo diário de seis porções do grupo do arroz, pães, massas, batata, mandioca; três porções de frutas, três porções de verduras e legumes e uma porção de leguminosas (feijões) por dia (Guia de Alimentação Saudável para a População brasileira, Ministério da Saúde, 2014).



Em função das mudanças fisiológicas relacionadas ao envelhecimento, bem como da maior prevalência de doenças crônicas, estudos e recomendações mostram que uma alimentação adequada é uma das estratégias mais eficazes à promoção de saúde e que o consumo habitual de alimentos que contenham nutrientes essenciais reduz o risco de doenças cardiovasculares, neoplasias e distúrbios nutricionais, como obesidade e desnutrição (White, 2010).



Leia também: CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO NA MELHOR IDADE






Imagem por: Freepik



Referências:



Brasil.
Ministério da Saúde (2014). Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral da
Política de Alimentação e Nutrição. Guia
alimentar para a população brasileira:promovendo
a alimentação saudável
. Brasília: Ministério da Saúde, 2ed. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf



Patrocinio W. P. (2011). Descrição e análise dos efeitos
de um programa de educação popular em saúde dirigido a idosos comunitários.
Tese de Doutorado. Campinas: Universidade Estadual de Campinas.



White,
H. J. (2010). Condições funcionais para alimentação, estado nutricional, perda de peso
e autoavaliação de saúde em idosos comunitários:dados do FIBRA
Campinas.
Dissertação
de Mestrado em Gerontologia. Faculdade de Ciências Médicas. Universidade
Estadual de Campinas, Campinas.




Sobre o Autor

Wanda Patrocinio

Gerontóloga

Idealizadora e Diretora da GeroVida – Arte, Educação e Vida Plena. Pedagoga, Mestre em Gerontologia, Doutora em Educação - UNICAMP. Professora, Pesquisadora e Terapeuta em Homeostase Quântica Informacional, Instituto Quantum.  Até junho de 2019 desempenhava o papel de professora do Programa de Mestrado de Gerontologia da Universidade Ibirapuera, UNIB, SP. Curso de Extensão em Psicogerontologia, PUC-SP. Curso de Estimulação Cognitiva com ênfase em memória para idosos, Pinus Longaeva, SP.

Tags:



Leia mais: