Usamos cookies para melhorar sua experiência no nosso site, acesse nossa Política de Privacidade e saiba mais. Ao usar o nosso site, você concorda com nossa política.

Aceitar Rejeitar

A importância dos exercícios físicos em relação a doenças sistêmicas.

por Gigi em 30 de março de 2017

Durante o decorrer da vida mantemos hábitos que podem refletir diretamente em nossa saúde na velhice, como: má alimentação, baixa qualidade do sono, tabagismo, sedentarismo entre outros. Talvez por isso a recorrência de tantas alterações sistêmicas presentes em pessoas mais velhas. Estas alterações também sofrem influência direta de mudanças endócrinas e fatores genéticos. A prevalência de doenças provindas das alterações sistêmicas é alta, entre elas estão: diabetes, hipertensão arterial e hiper ou hipotireoidismo além da alteração nas taxas do colesterol. Se olharmos para as causas mais comuns de morte em nosso país veremos que elas possuem uma relação muito intima com estas mesmas alterações sistêmicas, sendo elas: Acidente vascular cerebral, infarto agudo do miocárdio, diabetes e hipertensão. Claramente o primeiro passo tanto para prevenir quanto para mudar este quadro seria a inserção de bons hábitos, sendo um dos mais importantes a atividade física regular. Diversos estudos mostraram que à longo prazo tanto o exercício aeróbio (correr, caminhar, pedalar e etc), como o anaeróbio (musculação) são capazes de melhorar estes índices desajustados causados por maus hábitos. Se você já pratica uma atividade física regular, ótimo, mantenha-se assim. E para quem ainda não o faz, nunca é tarde. É necessário dedicação e persistência, começar de modo gradual, pois nada será resolvido do dia para noite, afinal foram anos e anos sem a devida atenção a saúde. O acompanhamento de profissionais como médicos, educadores físicos, nutricionistas e fisioterapeutas é imprescindível. Nas casas de repouso adaptações podem ser feitas para que essa população tenha acesso a esse benefício, lembrando que os resultados não são imediatos, então a freqüência é o ponto chave para o sucesso. Claro que limitações funcionais podem estar presentes, sejam elas de ordem musculoesqueléticas, respiratórias, cardiovasculares, porém manter-se ativo dentro desse limite é fundamental para que haja uma evolução. Então a dica de hoje é MATENHA-SE ATIVO!!! A rotina de exercícios pode trazer outros inúmeros benefícios que já foram e ainda serão citados nos textos postados aqui no blog da Gigi.


Acompanhe, curta, compartilhe e deixe seu comentário, dúvidas e sugestões.


Um abraço e até a próxima.






Foto: Prefeitura de Belo Horizonte




Sobre o Autor

Ramon de Oliveira Scatolin

Fisioterapeuta (CREFITO: 214759-F)

Graduado em Fisioterapia pela Universidade de Araraquara - UNIARA. Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade de São Paulo - USP através do Programa de pós graduação em Reabilitação e Desempenho Funcional (PPGRDF) da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - FMRP. Diretor clínico do Instituto Trata - Joelho e Quadril na cidade de Ribeirão Preto - SP e Professor da pós-graduação  em Fisioterapia Ortopédica e Esportiva da Faculdade Inspirar do Instituto IPOG.

Tags:



Leia mais: