Arteterapia: refletindo a sua vida

por Gigi em 13 de junho de 2018
Roberta dos Santos Tarallo

Gerontóloga

Wanda Patrocinio

Mestre em Gerontologia e Doutora em Educação

O ser humano e a história da humanidade sempre estiveram atrelados às artes e suas expressões. A arte, historicamente é reconhecida na cultura humana, como uma forma de socialização e de expressão.

Atividades artísticas, como pintura, desenho, recorte-colagem, dramatização, escrita criativa, modelagem, tecelagem, são utilizadas como elementos terapêuticos. Sendo assim, a arte em si pode ter valor terapêutico, mas não é a mesma coisa que arteterapia.

Na arteterapia há a interpretação do trabalho artístico que, auxiliado pelo terapeuta, é realizada pela própria pessoa, que ao analisar as suas produções apreende suas representações contidas nas expressões desenvolvidas. Desse modo, a expressão plástica é utilizada como meio de ascender à comunicação da pessoa com ela mesma e, ou, com o mundo externo ou interno.

É uma técnica que visa, por meio da mediação de elementos materiais, que possibilitam a origem de formas, à expressão ou à comunicação de representações como as fantasias e sentimentos, possibilitando, assim, um espaço para a liberação das energias psíquicas, bem como a possibilidade de expressão, posterior à criação estabelecida em palavras, daquilo que antes não tinha identidade ou espaço para ser manifestado.

As técnicas de Arteterapia são baseadas no conhecimento de que todo o indivíduo quer tenha ou não treino em arte, tem capacidade latente para projetar seus conteúdos internos em formas visuais, musicais ou movimentos de expressão corporal. A estética em si das produções expressivas é o aspecto menos importante; o objetivo principal é o resgate de símbolos do indivíduo, nas expressões do processo criativo de cada um, conforme o surgimento de expressividades.

Esta técnica ajuda os aspectos emocionais, com a prática que utiliza a autoexpressão do indivíduo. A Arteterapia, além de desenvolver a capacidade motora, os gestos, ajuda a ativar os aspectos cognitivos, propiciando novas formas de aprendizagem, retenção de informações e auxilia a concentração, atenção e memória.

Em idosos, a arteterapia pode ser uma grande aliada nas expressões de sentimentos, ressignificação e vínculo com a vida. Possibilita mergulhar no seu próprio inconsciente e passar para a tela o conhecimento de si; desperta a autoestima, desenvolvendo a criatividade e o potencial construtivo e criador; busca facilitar o resgate dos talentos ocultos, além de favorecer a busca da harmonia, do equilíbrio e do reencontro com o bom-humor. Além disso, a arteterapia contribui para a expressão da subjetividade do idoso e é desenvolvida buscando estimular a criatividade e a consciência corporal.

É uma proposta válida para todas as pessoas e idades, desde que seja aceita e absorvida naturalmente no ritmo de tempo de cada um.

E você, já experimentou a arteterapia?




Referências:

Josy Mariane Thaler Martinie, Maria Tereza Junqueira Carvalho Filha, Sandra Aiache Menta. Arteterapia: recurso terapêutico ocupacional na terceira idade. Multitemas, n. 25, 2002.

Amanda Paiva Aguiar, Regina Macri. Promovendo a qualidade de vida dos idosos através da arteterapia. Revista pesq.: cuidado é fundamental online, 2010.

Elen Teixeira Barbosa, Graziela C. Werba. Arteterapia e idosos institucionalizados: uma experiência no tempo. Conversas Interdisciplinares, v. 5, n. 4, 2010.

 

Foto por: Thomas Galvez

Roberta dos Santos Tarallo

Gerontóloga

Mestra em Gerontologia pela UNICAMP. Professora de Cursos Livres da empresa GeroVida. Voluntária da Associação Brasileira de Alzheimer, sub-regional Campinas.

Wanda Patrocinio

Mestre em Gerontologia e Doutora em Educação

Idealizadora e Diretora da GeroVida – Arte, Educação e Vida Plena. Pedagoga, Mestre em Gerontologia, Doutora em Educação - UNICAMP. Professora, Pesquisadora e Terapeuta em Homeostase Quântica Informacional, Instituto Quantum.  Até junho de 2019 desempenhava o papel de professora do Programa de Mestrado de Gerontologia da Universidade Ibirapuera, UNIB, SP. Curso de Extensão em Psicogerontologia, PUC-SP. Curso de Estimulação Cognitiva com ênfase em memória para idosos, Pinus Longaeva, SP.



Artigos relacionados

Suicídio na Velhice

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) nenhum […]

Violência contra a pessoa idosa

Dia 15 de junho se comemora o Dia […]

Atividades cognitivas e artísticas para idosos com Alzheimer

O que é Alzheimer? A Doença de Alzheimer […]

A influência da música na amenização dos sintomas de Alzheimer em idosos

A música e seus elementos constitutivos (harmonia, melodia, […]

Gigi noticia



Pariticipe do nosso blog

Sugira um tema para a Gigi

Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nossas newsletter e todas as novidades do Blog da Gigi.

Siga nossas redes sociais





© 2015 - 2022 Scaelife. Todos os direitos reservados.

Scaelife