Usamos cookies para melhorar sua experiência no nosso site, acesse nossa Política de Privacidade e saiba mais. Ao usar o nosso site, você concorda com nossa política.

Aceitar Rejeitar

Como sair da rotina e desenvolver atividades diferentes com idosos?

por Gigi em 20 de março de 2019

No texto de hoje vou falar um pouco sobre algumas sugestões de atividades que podem ser desenvolvidas com os idosos em vários contextos: centro-dia, centro de convivência, casa de repouso e até na própria residência. Para que possamos diversificar cada vez mais as atividades e quebrar um pouco a rotina.

Essas atividades são chamadas de estimuladoras e desenvolvem a integração social, a estimulação psicocognitiva, a motivação e o interesse pela vida.

“O diferencial de seu trabalho e/ou relação com os idosos está justamente nas atividades que vai oferecer! Use sua criatividade”.

Mãos de uma idosa realizando trabalhos manuais

Fonte: https://unsplash.com/photos/O_Xf5uToN-Q



 

Atividades de movimentos:

Dança Sênior: trabalha a memória recente, repetitiva e a coordenação motora;

Dança Circular: desperta a cooperação, o respeito mútuo, tolerância, aceitação.

Além da dança, podemos trabalhar o movimento pela yoga; tai chi chuan; lian gong; expressão corporal, entre outros.

 

Atividades cognitivas:

Essas atividades, de modo geral, trabalham a memória recente, temporal, espacial, afetiva e remota;

Capacitação Digital: noções básicas de computação e internet;

Línguas: estimula novas formas de comunicação;

Palestras: desenvolve raciocínio, capacidade de abstração e síntese;

Jornal Laboratório: desenvolve a criatividade, linguagem escrita e interesses variados;

Leitura, etc.

 

Atividades ocupacionais:

Artesanato: capacidade motora e criatividade;

Culinária: integração social, criatividade e o fazer;

Ikebana: arranjos florais e contato com a natureza;

Horta e jardinagem: capacidade motora, planejamento, cria expectativas;

Organização de oficinas em que cada dia ou semana um idoso exporá como foi sua experiência de trabalho ao longo da vida.

 

Atividades musicais e recreativas:

Coral: memória musical e integração social;

Teatro: integração social e memória funcional;

Bingo: trabalha a memória imediata e rapidez de raciocínio;

Gincanas: integração social e memória funcional;

Composições coreográficas: trabalha memória, movimento, desenvoltura e criatividade.

 

Atividades socioculturais:

Filmes: temas que procuram desenvolver a memória remota, funcional, relacionamentos afetivos evitando o isolamento social e atualização;

Concertos: músicas eruditas e populares, promovendo a convivência social;

Festividades: comemorações de datas significativas, trabalhando a memória remota e afetividade, promovendo um compromisso de vida;

Passeios e visitas a exposições;

Viagens.

O que se faz necessário é sempre levar em consideração os interesses dos idosos para que as atividades seja, realmente, significativas.




Fotos por: John Moeses Bauan

Philipp Lublasser

Edição de imagens pela equipe SCAElife



Sobre o Autor

Wanda Patrocinio

Gerontóloga

Idealizadora e Diretora da GeroVida – Arte, Educação e Vida Plena. Pedagoga, Mestre em Gerontologia, Doutora em Educação - UNICAMP. Professora, Pesquisadora e Terapeuta em Homeostase Quântica Informacional, Instituto Quantum.  Até junho de 2019 desempenhava o papel de professora do Programa de Mestrado de Gerontologia da Universidade Ibirapuera, UNIB, SP. Curso de Extensão em Psicogerontologia, PUC-SP. Curso de Estimulação Cognitiva com ênfase em memória para idosos, Pinus Longaeva, SP.

Tags:



Leia mais: