Usamos cookies para melhorar sua experiência no nosso site, acesse nossa Política de Privacidade e saiba mais. Ao usar o nosso site, você concorda com nossa política.

Aceitar Rejeitar

MANTEIGA OU MARGARINA: O QUE É MELHOR?

por Gigi em 2 de maio de 2018

Nada parece ser tão polêmico há tanto tempo como as gorduras – e a dúvida manteiga ou margarina está no meio dessa polêmica. Hoje, já sabemos que existem duas categorias delas: as que ajudam nosso corpo a funcionar melhor e, por isso, são indispensáveis, e aquelas que realmente não fazem bem.

Há tempos, tornou-se hábito adotar a margarina no lugar da manteiga porque acreditava-se que fazia menos mal por ser de origem vegetal. O que era ótimo ontem, pode não ser amanhã e já estamos acostumados com isso

Com o tempo, a manteiga foi sendo deixada de lado, cedendo seu espaço na mesa do café da manhã para a margarina que, por sua vez, ganhou o rótulo de alimento saudável, deixando para a primeira como vilã.

Qual a diferença entre manteiga e margarina?

Manteiga: de origem animal, é feita da nata de leite batida.

Margarina: de origem vegetal, a margarina é resultado de um processo chamado hidrogenação. Nele, as moléculas de hidrogênio são incorporadas às de gordura de maneira artificial, em altas temperaturas. É o calor que transforma a gordura insaturada em parcialmente saturada. Também durante a hidrogenação, as moléculas de gordura viram gordura trans e saturadas.

Em especial, por causa das calorias, e das gorduras saturadas, a manteiga ficou esquecida, pois supostamente engordaria e provocaria doenças cardíacas. Mas hoje ela começa a reconquistar seu espaço. Sabe-se, por exemplo, que o consumo de gordura trans (da margarina) é prejudicial a saúde, e esse tipo de gordura deve estar descrita no rotulo do alimento, porem muitas vezes não esta!

Já sobre a manteiga, ela contém ácido burítico (bom para a saúde metabólica e intestinal), vitamina A (antioxidante e facilitadora da digestão das proteínas) e ainda ajuda a prevenir a artrite e osteoporose, além de doenças na tiróide e outras.

Mas como tudo na vida, vale o equilíbrio na hora de consumir, principalmente para quem segue algum tipo de dieta restritiva. O importante, acima de tudo, é pensar na origem do que se come. Quanto mais natural a alimento for melhor para sua saúde.

 

Até a próxima pessoal!




Foto por: Taryn



Sobre o Autor

Naira C. Furlan Zago

Nutricionista (CRN: 20947)

Nutricionista Clinica graduada na Uniara e pós graduada na USC. Trabalhou no hospital Beneficência Portuguesa de Araraquara por 10 anos como responsável técnica pelo sistema de fornecimento de refeições a pacientes e funcionários, atendimento hospitalar e ambulatorial. Atualmente atua em consultório com atendimento ambulatorial individualizado, com tratamento de obesidade com cirurgia bariátrica e  BIG

Tags:



Leia mais: