O serviço social e as ILPIs

por Gigi em 17 de agosto de 2016
Amanda Coleone

Assistente Social (CRESS:53.047)

Primeiro post do Blog da Gigi. Que prazer iniciar este espaço apresentando a minha profissão e também minha atual área de atuação: as Instituições de Longa Permanência para Idosos.


O Assistente Social é um profissional da área de Ciências Humanas formado pelo curso de Serviço Social. Para ter permissão de executar suas ações no mercado de trabalho é preciso inscrição no Conselho Regional de Serviço Social (CRESS).


Este profissional possui um amplo campo de atuação, podendo estar presente nos mais diversos segmentos, desde empresas privadas, ONGs, até concursos públicos nas três esferas governamentais (Prefeitura, Fórum, Forças Armadas, INSS, Universidades, entre outros).


Veja Também: A diferença entre Terapia Ocupacional e Serviço Social


Os artigos 4º e 5º da Lei 8.662/1993 preveem as competências e atribuições privativas do Assistente Social, tendo como principais atividades: analisar, elaborar, coordenar e executar planos, programas e projetos que garantam os direitos da população e seu acesso às políticas sociais. Realizar estudos socioeconômicos a fim de obter informações do contexto familiar inserido e orientar as pessoas na busca do acesso de direitos e serviços disponíveis para a sua realidade social; além de estarem diretamente envolvidos com o planejamento, organização, funcionamento e avaliação dos benefícios sociais fornecidos pelo governo.


Sabe-se que o setor público é o maior empregador desta categoria profissional no Brasil, sendo o carro chefe a Política da Assistência Social junto de seus programas de transferência de renda, como Bolsa Família. No exterior também é ampla a disponibilidade de vaga para esta área, como Canadá e Austrália, oferecendo alta remuneração e facilidade de imigração devido a falta de mão de obra local.


A profissão é popularmente conhecida por trabalhar com a “pobreza” e o assistente social carrega a fama de “moça boazinha” que fornece “cesta básica”. Sendo assim, deixo o questionamento: Por que há uma demanda tão grande de profissionais desta área no exterior, sendo estes, países desenvolvidos e mundialmente conhecidos como os melhores para se viver (Austrália – 1º lugar e Canadá – 6º lugar)?


Faço questão de responder. Obviamente o assistente social não trabalha apenas com a pobreza, mas sim com pessoas e famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social e apresentam múltiplas expressões da questão social em seu contexto atual, como: desemprego, dependência química, violência, abandono, entre outros. Tais fatores não se limitam apenas às pessoas com baixo poder aquisitivo, estando presentes em todas as classes sociais e países do mundo.


As expressões da questão social são facilmente encontradas nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), antigamente conhecidos como “asilos” e “abrigos”, e que perderam essas nomenclaturas devido ao sentido pejorativo de exclusão social que carregam.


No surgimento destas instituições, de maioria filantrópicas e pertencentes à igreja católica, o principal público atendido eram pessoas “carentes” que necessitavam de moradia e alimentação, e não necessariamente, maiores de 60 anos.


Com o envelhecimento populacional e a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistencias, estas instituições passaram a desenvolver um trabalho mais especializado, integrando os cuidados da Política da Saúde e profissionalizando suas ações de acordo com a Política da Assistência Social.


Sendo assim, as Instituições de Longa Permanência para Idosos são “instituições governamentais ou não governamentais, de caráter residencial, destinada a domicilio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar, em condição de liberdade, dignidade e cidadania.” (ANVISA).


Por se tratar de um tema abrangente, falaremos mais sobre as ILPIs nas próximas publicações.


Participe também, deixe sua opinião, sugestão e críticas.


Até a próxima.




Referências


Definição de ILPIs (ANVISA)
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2005/res0283_26_09_2005.html


Imagem por: Freepik


 



Amanda Coleone

Assistente Social (CRESS:53.047)

Assistente Social Graduada em Serviço Social pela Instituição Toledo de Ensino - ITE Bauru. Trabalha como assistente social no Lar São Vicente de Paulo – Ibitinga/SP e também na Prefeitura Municipal de Itápolis/SP. Possui em seu currículo realização de trabalho voluntário junto da "The Salvation Army" (Canadá) e Rotaract Club de Ibitinga.



Artigos relacionados

Suicídio na Velhice

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) nenhum […]

Violência contra a pessoa idosa

Dia 15 de junho se comemora o Dia […]

Atividades cognitivas e artísticas para idosos com Alzheimer

O que é Alzheimer? A Doença de Alzheimer […]

A influência da música na amenização dos sintomas de Alzheimer em idosos

A música e seus elementos constitutivos (harmonia, melodia, […]

Gigi noticia



Pariticipe do nosso blog

Sugira um tema para a Gigi

Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nossas newsletter e todas as novidades do Blog da Gigi.

Siga nossas redes sociais





© 2015 - 2022 Scaelife. Todos os direitos reservados.

Scaelife