Usamos cookies para melhorar sua experiência no nosso site, acesse nossa Política de Privacidade e saiba mais. Ao usar o nosso site, você concorda com nossa política.

Aceitar Rejeitar

ORIENTAÇÃO GERONTOLÓGICA INDIVIDUAL

por Gigi em 26 de dezembro de 2019


A Orientação Gerontológica Individual (OGI) é um trabalho desenvolvido com adultos e idosos, principalmente aqueles que estão em vias de se aposentar ou que já se aposentaram e precisam de auxílio para desenvolver, organizar e realizar atividades em suas vidas, para que possam viver com mais equilíbrio, melhorando a qualidade de vida e o bem-estar diário.



VEJA TAMBÉM: A AVALIAÇÃO FUNCIONAL DO IDOSO NA ILPI – UMA VISÃO INTERDISCIPLINAR



Estamos em uma época bem propícia para realização deste tipo de orientação, em que muitas pessoas se motivam a fazer planos para o novo ano, mas muitos não conseguem colocar em prática. A OGI busca auxiliar para que os planos não fiquem apenas no papel, para que, efetivamente, consigam ser realizados na vida da pessoa.



As atividades dessa orientação são organizadas e sugeridas de forma a sistematizar uma rotina diária, em que são incluídas todas as atividades de que a pessoa gosta ou que precisa realizar, mas que, por diversos motivos, não consegue se organizar para concretizá-las. Esse trabalho é destinado a adultos e idosos interessados em um processo de orientação individual para elaboração de seu projeto de vida.



VEJA TAMBÉM: Como sair da rotina e desenvolver atividades diferentes com idosos?



O método de trabalho consiste nos seguintes passos:



1º Momento (1º encontro): inicia-se com uma conversa explicando como funciona o trabalho e procurando estabelecer relações de confiança. Após as explicações iniciais, realiza-se um levantamento das demandas e necessidades do cliente, por meio de entrevista e conversa pessoal (modelo de questionário desenvolvido pela equipe da GeroVida).



2º Momento: o profissional ou a equipe multidisciplinar elabora um programa de atividades e de ações com base no levantamento realizado no primeiro encontro.



3º Momento (2º encontro): apresenta-se o programa para o adulto ou idoso, realizam-se possíveis ajustes e faz-se a orientação de como colocar o programa em prática.



4º Momento (acompanhamento): de acordo com a necessidade de cada pessoa, mensal, semanal ou quinzenalmente realiza-se um acompanhamento para trabalhar as dificuldades ou as mudanças no programa. A cada três meses, faz-se uma avaliação para atualizar e modificar as atividades e, caso seja necessário, alterar a meta.



O questionário consiste no levantamento de necessidades e interesses nas seguintes áreas: saúde e doenças já existentes; trabalho (em que atuava na vida adulta, se continua ativo, aposentado, trabalho voluntário); religião ou espiritualidade (se pratica e como; se praticava, por que parou); atividade física (se pratica e qual; se praticava, por que parou); atividades artísticas (quais aprecia ou apreciava mais); passeios (se gosta ou gostava de sair, para quais locais e com qual frequência); atividades terapêuticas (se conhece, pratica ou praticava e de quais gosta); aspectos cultuais (se tem ou tinha costume de frequentar eventos culturais); e atividades cognitivas; sempre focando nos interesses que proporcionem satisfação e felicidade para o adulto / idoso.



De modo geral, as atividades realizadas com o uso do método da OGI são avaliadas positivamente pelos adultos e idosos, pois se revertem em ganhos para sua qualidade de vida e seu bem-estar.






Referências: Experiência da própria autora na orientação gerontológica de adultos e idosos há mais de 10 anos de atuação.



Imagem por:  Emre Kuzu de Pexels




Sobre o Autor

Wanda Patrocinio

Gerontóloga

Idealizadora e Diretora da GeroVida – Arte, Educação e Vida Plena. Pedagoga, Mestre em Gerontologia, Doutora em Educação - UNICAMP. Professora, Pesquisadora e Terapeuta em Homeostase Quântica Informacional, Instituto Quantum.  Até junho de 2019 desempenhava o papel de professora do Programa de Mestrado de Gerontologia da Universidade Ibirapuera, UNIB, SP. Curso de Extensão em Psicogerontologia, PUC-SP. Curso de Estimulação Cognitiva com ênfase em memória para idosos, Pinus Longaeva, SP.

Tags:



Leia mais: